sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O LUTHIER

                                                           Clothes by Perseph

Certa vez o professor disse: “Caiu a alma do Violoncello”. E o starter, mal cá sabendo de que se tratava, responde a perguntar: “O que vem a ser a alma de um cello?”. Feita a descoberta, ora pois, nada como um bom luthier para resolver o problema.

“Choram as arcadas do violoncelo...” inicia um poema. E realmente, choram as arcadas do violoncelo, o arco vibra as cordas entre uma nota e outra, acostumando o ouvindo, aquietando a alma.

...E o luthier? Ah, o luthier. Ele resolveu, colocou a alma no lugar. Era belo o seu trabalho, lindo, fabuloso. Quisera encomendar um cello com ele – valia uma fortuna-, mas nada como ter um instrumento fabricado artesanalmente, com carinho, esmero e madeira nobre. No entanto, à esperança de que chegasse um tempo para ter o dinheiro e comprar o tão sonhado, infelizmente o luthier havia falecido de câncer. Morria ali, um enorme talento, o talento que a algumas gerações serviu, mas não ao aluno que aquietara sua alma.

Homenagem póstuma.

          ... And, the luthier put the soul at his place
                           Posthumous tribute 

2 comentários:

  1. ola, passando para conhecer o blog!!
    se quiser, acesse meu blog de arte obscura, terror e bandas com temáticas vampirescas http://artegrotesca.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Saudaçoes muito interessante vosso trabalho perfeito, convido a ingressar no blog Goticus Eternus, espero tua visita, até breve.
    bjo Gótico

    Att: Tiago Dotto
    adm: blog goticus eternus

    ResponderExcluir